O Mais é Nada

Janeiro 6, 2008

Navegue, descubra tesouros, mas não os tire do fundo do mar, o lugar deles é lá.
Admire a lua, sonhe com ela,  mas não queira trazê-la para a terra.
Curta o sol, se deixe acariciar por ele, mas lembre-se que o  seu calor é  para todos.
Sonhe com as estrelas, apenas sonhe, elas só podem brilhar  no céu.
Não tente deter o vento, ele precisa correr por toda parte, ele tem pressa de chegar sabe-se lá onde.
Não apare a chuva, ela quer cair e molhar muitos rostos,  não  pode molhar só o seu.
As lágrimas? Não as seque, elas precisam correr na minha, na sua, em todas as faces.
O sorriso! Esse você deve segurar, não deixe-o ir embora, agarre-o!
Quem você ama? Guarde dentro de um porta jóias, tranque, perca a chave!
Quem você ama é a maior jóia que você possui, a mais valiosa.

Não importa se a estação do ano muda, se o século vira e se o milênio é outro, se a idade aumenta;

conserve a vontade de viver, não se  chega à parte alguma sem ela.
Abra todas as janelas que encontrar e as portas também.
Persiga um sonho, mas não deixe ele viver sozinho.
Alimente sua alma com amor, cure suas feridas com carinho.
Descubra-se todos os dias, deixe-se levar pelas vontades, mas não enlouqueça por elas.

Procure, sempre procure o fim de uma história, seja ela qual  for.
Dê um sorriso para quem esqueceu como se faz isso.
Acelere seus pensamentos, mas não permita que eles te consumam.
Olhe para o lado, alguém precisa de você.
Abasteça seu coração de fé, não a perca nunca.
Mergulhe de cabeça nos seus desejos e satisfaça-os.
Agonize de dor por um amigo, só saia dessa agonia se conseguir tirá-lo também.
Procure os seus caminhos, mas não magoe ninguém nessa  procura.
Arrependa-se, volte atrás, peça perdão!
Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando  julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se  afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se achá-lo, segure-o!
“Circunda-te de rosas, ama, bebe e cala. O mais é nada”.

(Fernando Pessoa)

 

O texto acima é referenciado como do Fernando Pessoa e eu confesso que o acho otimista demais para o poeta, mas quem sou eu pra discutir autoria de alguma coisa?

O fato é que, plagiando meu amigo Leonardo Aquino, “escrever em Blog é coisa de gente triste” e eu estava muito triste até ontem.

Hoje me muni da fé da minha mãe, aquela mesma que remove montanhas e percebi o quanto a minha vida é bela e gratificante. Se hoje estou triste é porque certamente ficaria mais triste mais tarde!

“Se não deu certo, é porque não é o final”

O mais, é nada!

Baci!

11 Respostas to “O Mais é Nada”

  1. Adriana said

    Vê-se que não é Fernando Pessoa. Talvez a última frase seja dele.

  2. francisco said

    Olá,
    pela temática parece-me um poema de Alberto Caeiro, heterónimo de Fernando Pessoa.

  3. Duarte said

    Me falaram que esse texto é de Silvana Duboc!
    Veja: http://www.silvanaduboc.us
    Alguém acrescentou os ultimos versos que não são dela…
    O final é de uma Ode de Ricardo Reis (um dos heteronimos de F.P.)… Copiado diretamente, nem é plágio!
    É assim:
    “Tão cedo passa tudo quanto passa.
    Morre tão jovem ante os deuses quanto morre!
    Tudo é tão pouco.
    Nada se sabe, tudo se imagina.
    Circunda-te de rosas, ama, bebe. E cala.
    O mais é nada.”

    Ricardo Reis

  4. Marcos said

    Bom… Adorei o texto… hj pra mim ele foi como um alívio,não… na verdae ele foi fomo um carinho…! rsrs. obrigado!

  5. Rubinha said

    realmente o texto não se parece com Fernando Pessoa.

  6. Rute said

    Ricardo Reis (:

  7. Nabel said

    “Navegue” Maravilha de texto de Silvana Duboc, a última citação sim é de Fernando Pessoa em Odes de Ricardo Reis.“Circunda-te de rosas, ama, bebe e cala. O mais é nada”.

    Paz e bem

  8. Marcia said

    A expressão “Curta” logo no começo do texto definitivamente já indicaria que não é do Fernando Pessoa…

  9. lena said

    vcs vem aqui pra jugar ou apreciar? seja de quem for, sao palavras verdadeiras! vindas do intimo de cada pessoa nimguem e obrigado a ler isso!

  10. Sara said

    Se estiver á letra não é com certeza pois Fernando Pessoa não escrvia português do Brasil… “Curta o sol, se deixe acariciar por ele” Isso é português do Brasil

  11. Renato Winkler said

    Nomes de grandes autores como Fernando Pessoa ou Jorge Luís Borges, por exemplo, são constantemente usados em publicações como apócrifos – e correm o mundo via Internet.
    Quem ganha com isso, eu não sei – a obra fica mais conhecida (o que é bom) mas não seu verdadeiro autor…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: